quinta-feira, 20 de julho de 2017

Conheça os Benefícios da Alfavaca

15:34

Alfavaca também conhecida como manjericão-de-folha-largae ( Ocimum basilicum)   é uma planta perene que mede aproximadamente 60 cm de altura, sendo originária da Ásia e África. É uma planta conhecida pelos seus galhos com muitas ramificações, com suas folhas postas, com um formato oval, e pela sua cor verde clara.

O manjericão tem flores brancas e um pouco rosadas. Uma das características das suas flores é a sua disposição tipo espiga. As suas sementes são pequenas e pretas. É usual serem retiradas as suas primeiras florações para aumentar o número de folhas e o ciclo da planta.



Na medicina tradicional, é usado como planta medicinal. As suas folhas e flores são utilizadas no preparo de chás, por suas propriedades tônicas e digestivas, sendo indicados ainda para problemas respiratórios e reumáticos.




O óleo essencial de manjericão (menos de 1%) tem uma composição complexa e variável, segundo o clima, o solo, a época da colheita, etc.Os mais importantes componentes aromáticos são cineol, linalol, citral, estragol, eugenol e cinamato de metila, embora não necessariamente nessa ordem. Outros monoterpenos (ocimeno, geraniol, cânfora), sesquiterpenos (bisaboleno, cario­fileno) e fenilpropanóides (metil eugenol) podem estar presentes, em concentrações variáveis, com forte influência sobre o sabor.

Propriedades medicinais|
As vitamina A e C são algumas das vitaminas mais abundantes na folha da alfavaca. Sendo indicadas para o ardor ao urinar. As suas folhas são também fantásticas para produzir compressas, que devem ser aplicadas nos mamilos doridos das lactantes. Outra das características da folha do manjericão é o auxílio à boa circulação e dores reumáticas, sendo também bom para tosse e resfriados. O manjericão favorece igualmente a digestão e reduz a fadiga.[carece de fontes] Uma outra utilidade que é reconhecida ao manjericão é o seu uso em pomadas antibacterianas




Analgésica, antiemética, antifebril, antisséptico, aperiente, aromatizante, calmante, carminativa, digestivo, dispepsia nervosa, diurética, emenagoga, estimulante digestivo, estimulante, estomacal, expectorante, excitante, galactógeno, hidratante, relaxante, revigorante, sedativo, sudorífera, tônica.


 Max Amora


Indicações: afta, amigdalite, angina, antraze, aumentar a lactação, bico do seio rachado, bronquite, catarro, cólica, debilidade de nervos, dispepsia, doença das vias respiratórias, dor de cabeça nervosa, dor de garganta, enxaqueca, espasmo, espinha, estagnar o sangue, febre, ferida, flatulência, fraqueza, frieiras, furúnculo, garganta, gases, gastrite, gripe, infecções intestinais, dos rins e do estômago, insônia, picada de inseto, problemas digestivos, resfriado, reumatismo, tosse, tuberculose pulmonar, vermes, vômito.

Fontes de pesquisa: 
www.plantasquecuram.com.br
Wikipédia.com

terça-feira, 18 de julho de 2017

Saiba a causa principal das dores nas articulações

10:55
https://app.monetizze.com.br/r/BVT100145


Você sabia que a principal causa das dores articulares é a falta de minerais no corpo?

ATENÇÃO AOS SINAIS!
O início das dores articulares pode ter como característica apenas uma ou poucas articulações inchadas, quentes e dolorosas. Normalmente acompanhada de rigidez de movimentos.

"O problema principal é a DOR e a diminuição da função articular, ou seja, da mobilidade das juntas", segundo os médicos reumatólogos.

Contudo, também é fundamental ficar atento a outros sinais que podem indicar o quadro de artrite, tais como: cansaço, perda de peso, anemia, febre baixa e inflamações nas juntas, como mãos, punhos, cotovelos, pés, tornozelos, joelhos e quadril.




Um dos grandes problemas relacionados à artrite é que ela pode incapacitar o paciente, justamente porque LEVA A DESTRUIÇÃO DAS JUNTAS, O QUE OCASIONA A DEFORMIDADES E LIMITAÇÕES para o trabalho e para as demais atividades do dia a dia, até mesmo as mais simples e corriqueiras.

Mas não é preciso se desesperar, uma vez que o TRATAMENTO adequado quando realizado precocemente pode amenizar os sintomas e MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA de quem tem a doença, Garantindo Mais Bem-Estar.

Veja os ponto do corpo mais atingidos 

 Bio Mac

O CONTROLE DO PH CORPORAL É FUNDAMENTAL PARA A SUA SAÚDE


  • As Dores Articulares são doenças que se desenvolvem quando o organismo está ácido e a tendência do nosso corpo é justamente essa, principalmente por causa dos hábitos alimentares.
  • E é a acidez que desarranja toda a nossa fisiologia, nos deixando mais propensos a inúmeros problemas de saúde.
  • O uso diário do Biomac deixa o PH corporal ligeiramente alcalino, o que vai proporcionar um Ajuste Geral em sua fisiologia, acabando de vez com as Dores Articulares.
  • A absorção gástrica do BIOMAC não depende de pH estomacal, tornando-se assim a mais eficaz fonte de cálcio para pessoas com idade acima de 50 anos.




Dor Articular É Coisa Séria

Você Precisa Se Cuidar!



Você já deve saber que ter Dores nas Articulações é muito preocupante. Esse quadro pode evoluir para Artrite, Artrose, Reumatismo ou outras doenças que não tem cura. Então preste atenção nestas Dicas para aliviar os sintomas:


  • Melhorar a alimentação, evitando alimentos que pioram as inflamações;
  • Alcalinizar o PH do Seu Corpo;
  • Tomar sol para obter a vitamina D é uma prioridade, evite comprar a vitamina pronta;
  • O exercício físico é ótimo como parte do Tratamento;
  • Fortalecimento Muscular também é importante;
  • Preste atenção na sua postura;
  • Muito Cuidado com o uso de anti-inflamatórios e Analgésicos, os efeitos colaterais são terríveis;
  • Cuide do seu estado psicológico;

ACABE COM AS DORES!
ELIMINE AS INFLAMAÇÕES, RESTAURANDO OS OSSOS E FORTALECENDO OS MÚSCULOS COM O BIO MAX. 


O que é o BioMac? O BioMac não é remédio. Ele é um complemento alimentar natural que vai fornecer minerais orgânicos ao organismo, proporcionando um melhor funcionamento deste, tornando-o mais forte. Também capacita o próprio organismo em prevenir e combater várias doenças, ou situações adversas.


 Bio Mac


O BIOMAC É UMA ALGA MARINHA 100% NATURAL E ORGÂNICA;

 Bio Mac
Na compra do seu BioMac você leva o Manual da Qualidade de Vida. Nele você vai aprender 
  • Quais os Melhores Alimentos Para Ajudar Na Desinflamação do Seu Corpo
  • Lista dos Piores Alimentos Que Devem Ser Evitados de Qualquer Maneira
  • Cardápio Com Alimentos Anti-inflamatórios Para 2 Semanas
  • Exercícios Recomendados
  • Terapias Alternativas
  • Os Direitos de Quem Tem Artrite

Onde comprar o BioMac? O Bio Mac é vendido somente pelo site oficial Bio MacVocê pode comprar pelo boleto ou parcela em até 12x no cartão. O frete é grátis.

Composição do Bio Mac 




 Bio Mac

quinta-feira, 13 de julho de 2017

A falta de desejo sexual na menopausa

16:54
Libido na menopausa


Como lidar com a falta de desejo sexual na menopausa


A falta de desejo sexual na menopausa afeta entre 20% e 40% das mulheres e, para além de apresentar sintomas físicos, também influencia a mulher em termos psicológicos e emocionais. A falta de libido também pode causar stress na própria relação a dois, bem como fazer a mulher sentir-se menos feminina, menos desejada. Embora este tipo de sentimento seja bastante comum na menopausa, a vida sexual pode e deve manter-se saudável e ativa.




Como se caracteriza a falta de desejo sexual na menopausa?


Como em praticamente todos os sintomas relativos à menopausa, também a falta de desejo sexual está ligada às alterações hormonais que afetam as mulheres menopáusicas. Entende-se por falta de desejo sexual uma diminuição ou perda de interesse no ato sexual, também conhecido como a falta de libido. É bastante comum uma mulher que atravessa a fase da menopausa sentir-se menos feminina e alienada da sua própria sexualidade, o que se manifesta através de uma redução drástica no desejo sexual e, em alguns casos, o desaparecimento total do mesmo.



O que leva à falta de desejo sexual na menopausa?

Devido ao desequilíbrio hormonal que desencadeia a menopausa, o corpo de uma mulher sofre inúmeras transformações físicas durante esta fase da sua vida e a libido ou desejo sexual também é afetado. A redução na produção das hormonas progesterona, testerona e estrogénio manifesta-se física, emocional e psicologicamente. Em termos físicos, o próprio órgão sexual feminino é drasticamente alterado: a falta de estrogénio contribui para uma zona vaginal mais seca, sensível e enfraquecida, verificando-se ainda a diminuição do tamanho do clítoris e do monte púbico, lábios vaginais mais finos e a perda de pelos púbicos.

A diminuição da produção de progesterona e testerona causam outros sintomas da menopausa – não necessariamente ligados ao órgão sexual feminino – mas que indiretamente podem também eles contribuir negativamente para o prazer e desejo sexual, caso da preocupação com o envelhecimento, depressão, stress, perda de autoestima, efeitos secundários causados pela toma de alguns medicamentos (por exemplo: antidepressivos, anti-histamínicos…), entre outros.



Quais são os principais sintomas da falta de desejo sexual na menopausa?

A falta de desejo sexual na menopausa manifesta-se principalmente através dos seguintes sintomas: desinteresse no ato sexual, frustração/irritação, dificuldade em sentir-se sexualmente excitada (mesmo quando estimulada), paredes vaginais mais frágeis, secura vaginal, dor/desconforto durante o ato sexual, incapacidade de atingir o orgasmo. Existem ainda outros sintomas característicos da menopausa que também podem contribuir para a falta de desejo sexual por parte da mulher, nomeadamente as dores de cabeça, fadiga, suores noturnos, alterações de humor e sensibilidade nos seios.



Como lidar com a falta de desejo sexual na menopausa?

  1. O sexo nunca deve ser encarado como uma obrigação, mas sempre um prazer – isto aplica-se a qualquer fase da vida da mulher, incluindo na menopausa. Existem várias formas de reverter a falta de desejo sexual e assim devolver o prazer e a intimidade à vida a dois:
  2. Seguir uma alimentação saudável, incorporando alimentos como peixe, ostras, carne vermelha, carne branca, fígado, verduras, feijão vermelho, trigo-sarraceno/trigo mouro, nozes, laticínios, miso/missô, tofu e produtos com soja na dieta diária.
  3. Aumentar a prática de exercício físico, que pode ser muito benéfico para elevar os níveis de energia e, consequentemente, o desejo sexual.
  4. Incorporar técnicas de relaxamento na rotina diária (ex: pilates, meditação, massagens, alongamentos…).
  5. Fazer exercícios de Kegel para fortalecer os músculos pélvicos/zona vaginal.
  6. Experimentar novas (e mais cómodas) posições sexuais.
  7. Utilizar lubrificantes durante as relações sexuais.
  8. Investir mais tempo nos preliminares.


A terapia hormonal de substituição é o tratamento mais utilizado na menopausa e pode ter efeitos positivos no combate à falta de libido. Converse com o seu médico sobre esta e outras dúvidas.

Manter as linhas de comunicação com o parceiro abertas e honestas, para que ninguém se sinta excluído e/ou culpado daquilo que o outro está a sentir.