segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Conheça os benefícios do ginkgo biloba

Ginkgo biloba


A ginkgo biloba (Ginkgo biloba L.), também conhecida popularmente como nogueira-do-japão, é uma árvore originária do Extremo Oriente e já é famosa pelos seus benefícios à saúde.



Para os chineses, essa árvore é um símbolo de longevidade e paz. A altura da árvore pode chegar a 40 metros, as suas folhas são semelhantes ao trevo e o seu fruto lembra uma ameixa, contendo uma noz que pode ser assada e ingerida. A ginkgo biloba foi a primeira planta a brotar depois da destruição provocada pelo lançamento da bomba atômica na cidade de Hiroshima, no Japão.


Benefícios da ginkgo biloba


A ginkgo biloba é uma planta com ação anti-inflamatória, antifúngica, antibacteriana, antidepressiva, antidiabética e auxilia no tratamento de labirintite. O extrato de ginkgo bilola é uma substância que estimula o funcionamento do cérebro, auxiliando em casos de perda de memória. Atua também na regulação dos mecanismos da circulação sanguínea, possui ação antioxidante e favorece a ativação do metabolismo energético.





Reduz as tonturas, alivia as dores nas pernas e nos braços, cessa o zumbido nos ouvidos. Além disso, atua como facilitador do fluxo sanguíneo arterial, cerebral e periférico, ativando o metabolismo neuronal e protegendo as veias capilares.

Há suspeitas de que os seus benefícios vão ainda além: estudos realizados sugerem a sua capacidade de prevenir e atacar tumores.




Converse com o seu médico a respeito do uso de ginkgo biloba, para que seja comprovado que a planta pode ser usada no seu caso. O acompanhamento de um médico é muito importante!

Efeitos colaterais


Os casos de efeitos colaterais advindos do consumo de ginkbo biloba são raros: apenas 5% das pessoas que consomem o extrato da planta apresentam algum efeito colateral. Entretanto, o remédio possui tarja vermelha e só pode ser vendida com receita médica, sendo a dose máxima recomendada de 240mg ao dia. Os efeitos colaterais incluem mal estar abdominal, náuseas, alergias, cefaleia, tonteiras e vertigem.




Modo de preparo do chá


Para preparar o chá de ginkgo biloba, adicione uma colher (sopa) das folhas da planta fatiadas junto com dois copos de água fervendo. Deixe em infusão por cerca de 15 minutos em um recipiente abafado. Após esse período, coe. Tome duas xícaras de chá ao dia.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Chá para quem sofre de asma

Chá para quem sofre de asma


A asma é uma doença inflamatória, crônica e que afeta as vias respiratórias. Isto é, o pulmão de um asmático é diferente de uma pessoa que não sofre do problema e seus brônquios reagem de forma mais forte a qualquer sinal de irritação.



Neste sentido, o chá para asma pode ajudar a conquistar uma vida mais tranquila, já que os asmáticos sofrem muito frequentemente de falta de ar e dificuldade de respiração. A asma tem diferentes graus e pode acometer os indivíduos de forma bastante leve ou forte.


Só quem sofre com este mal sabe o quanto atividades comuns do dia a dia podem ser prejudicadas. Por isso, resolvemos ensinar um chá para asma eficiente, que vai melhorar os sintomas e garantir muito mais qualidade de vida.



Chá para asma
Há quem sofra os sintomas somente à noite, quando o chá para asma pode ajudar muito a tranquilizar os brônquios e a garantir um sono mais tranquilo. A asma está diretamente ligada às questões hereditárias, excesso de peso, alergias, além de também poder ser causado por hábitos da mãe, durante a gravidez.

Entre os hábitos que se mantidos na gravidez podem causar a asma são, o tabagismo, o estresse, a ansiedade e até a privação de sono. Por isso mulheres grávidas devem ter uma gestação tranquila, saudável e descansar sempre que possível.



Algumas doenças e problemas também podem ser confundidos com a asma, como por exemplo no coração e nas cordas vocais. Por isso, antes de se tratar ou tomar qualquer chá para asma, um médico deverá ser consultado para o que o diagnóstico seja feito de forma correta.


Como o chá para asma pode ajudar

Muitas são as ervas que podem ser usadas para fazer um chá para asma. A maioria delas atua diretamente nos brônquios, tranquilizando e garantindo uma respiração mais tranquila. É preciso salientar que apesar de serem naturais, as ervas utilizadas no chá para asma podem ser prejudiciais à saúde de algumas pessoas e seu uso deve sempre ser informado para o médico.

O chá para asma não poderá curar a doença, que é crônica. Mas pode sim aliviar os sintomas e garantir uma vida mais tranquila e longe do mal estar causado pelo problema. Os especialistas da área jamais indicam que seus pacientes parem de utilizar o medicamento. O chá para asma deve ser utilizado em conjunto, sempre com o consentimento do médico que atende o paciente.






Como fazer o chá para a asma
Entre as muitas ervas conhecidas para fazer um chá para asma, podemos citar:

* Chá de Guaco;
* Chá de Eucalipto;
* Chá de Gengibre;
* Chá de malva;
* Chá de cebola;
* Chá de limão com alho;
* Chá de cravos.

O chá para asma pode ser sempre realizado da mesma forma, independentemente do tipo de ingrediente utilizado. Antes de mais nada, separe em uma jarra ou bule, uma pequena quantidade de ingredientes. Quando folhas secas, como o eucalipto, guapo e malva, indica-se o uso de somente 1 colher de sopa. Demais ingredientes também podem seguir a mesma proporção e podem ser picados.

Depois, basta ferver 1 litro de água para cada porção de ingrediente. Quando a água ferver, despeje sobre o tipo de chá desejado e deixe agindo por cerca de 10 minutos, com tampa. Beba em seguida.

Fonte: Remédio da Terra

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Quando os pais reforçam a má educação dos filhos.

22:25
Quando os pais reforçam a má educação dos filhos.

Se um filho ofende a mãe, esta não deveria atendê-lo. 

Se a mãe engole seco e procura atendê-lo, está reforçando a má educação. Se a mãe, sem ficar brava, disser claramente: “Se você me trata mal, eu saio de perto de você” (e se afasta), o filho vai aprender que se tratar mal as pessoas, elas se afastarão.





Não é interessante nem educativo a mãe se afastar em silêncio ou magoada. Tem de explicar que não aceitou como o filho a tratou. Não basta o filho vir e pedir algo outra vez. É preciso que antes peça desculpas pelo desrespeito. Este é o preço que o filho deve pagar por ter tratado mal a mãe.




Se insistir com grosseria, ele que arque com outras consequências, que devem estar combinadas antes. Tudo o que é combinado tem de ser cumprido. Mesmo que a vontade dos pais seja perdoar, alimentam a má educação.”

(Autoria: Içami Tiba em “Educação Familiar – Presente e Futuro”)
Fonte da imagem: Pixabay.com